terça-feira, 20 de dezembro de 2016

350a. postagem... puxa!


Khal Drogo

 1. Acima, um dos personagens barbudos mais famosos nestes anos recentes, vivido por um artista neozelandês cujo nome não me lembrava mas, consultando o grande Oráculo Google, relembrei que se trata do (agora) famoso Joseph Jason Namakaeha Momoa. Ele esteve num dos Comic-con aqui no Brasil, e é uma simpatia só. Esta série da HBO que ele trabalhou, Game of Thrones, tornou-se uma das mais rentáveis do mundo. Muito boa, realmente, se bem que tem iniquidades do começo ao fim. Se ajudou alguém a ser melhor pessoa, ok, mas creio que foi, em grande parte, mais um bom entretenimento da massiva indústria do cinema.

2. Fim de ano com muito político cabuloso e poltrão, sem dúvida... Acho que é a classe mais odiada pelos brasileiros, com honrosas (mas poucas) exceções. Um mal necessário, diria alguém, e creio eu que se constitua num fenômeno intrínseco, inerente ao genero humano, quanto mais complexa se tornou a convivência social. Não tem mais volta e isto sinaliza a necessidade controlar esta choldra com todos os instrumentos possíveis. O povo está apostando muito na operação Lava-Jato, mas eu 'só acredito vendo'. Sou otimista por natureza, mas neste quesito sou/estou cético. 

3. Como o título indica, já postei 350 textos aqui, os mais diversos no formato e no conteúdo. Comecei quase de brincadeira, para conhecer o fenômeno, para não ficar alienado no domínio, depois como recursos para comunicar-me com meus netos e alunos, mas agora, para pensar comigo mesmo. É um exercício muito interessante. Professores há que usam do recurso do blog para fazer trabalhos colaborativos, facilitando a avaliação. Não chego a tanto. Acredito muito ainda no individualismo como fulcro do social, fundamentado no cultivo das virtudes. Isso funcionou muito no passado, mas perdeu-se muito do seu valor, dada a proeminência (mais 'didática' ou ideológica, creio) que o social assomou nesta modernidade... Quer um exemplo? Anteriormente, ser educado, ter urbanidade, era ponto de honra e marca do ser elevado; hoje, ser grosso, boçal, parece até que é 'distintivo', denotativo de o indivíduo ser assertivo, pro-ativo, etc. Inversão de valores, isto é que é...

 4. Como este ano passou depressa - indicando esta percepção que estamos inexoravelmente mais e mais envelhecendo... Já é Natal e 'daqui a pouco', Carnaval, quando começa a funcionar mal ou bem este velho brazil. Todo mundo está torcendo para que este 2016 "seja esquecido", tanta coisa horrível aconteceu neste ano. Que venha 2017 pleno de realizações e, principalmente, mais Ética para todos e tudo. Feliz Natal!