terça-feira, 24 de março de 2015

Profissionalismo


Gravura obtida agora (via Google Images) de
http://backstage.com.br/lazzaro/?p=113

Gente...  está difícil neste pós-modernidade! Celular que não funciona, empresa que instala equipamento sem concluir todas as especificações contratadas, e... 'desaparece', sem dar retorno, que tempos; que dirão aqueles nossos descendentes no futuro? Aliás, vi que mesmo estas coisas digitais que perpetramos não vão durar muito mesmo - imaginamos que estariam guardados em algum lugar 'nuvem'? acho que vai evaporar mesmo, ou 'chover'... ou quando a empresa for vendida, pluff!! ) mas que nada, nada garante que nossas coisas vão permanecer mesmo. Bem, eu não sei nada dos pais dos meus avós - e mesmo deles sei tão pouco! 

Mas sofro para 'inter-relacionar' comercialmente pois parece que a maioria do pessoal das empresas acostumaram mesmo a atender mal a clientela. Raras são as exceções... Cansei de ir a Procons; não resolve muito - é certa ilusão também. Existe uma empresa chinesa que agora vende produtos em Pindorama que se apropriou de uma bateria de equipamento eletrônico (eu tinha mandado para conserto toda a unidade - suspeitava que o defeito poderia ser ali ou no elemento principal; não vou dizer o que era, porque já viu, né...) na maior cara de pau: disseram que eu não enviei a peça, e ficou por isso mesmo. Burro eu que não fiz um descritivo minucioso na hora que coloquei o equipamento no correio - confiei na empresa, uma gigante eletrônica, visto que me instruíram superficialmente (vai saber se esta não era a estratégia...). E vai reclamar para quem? No fundo o que eu acho é que o melhor é ter o mínimo possível, ser uma espécie de asceta urbano, vivendo vida espartana. Talvez um ermitão, um eremita!

Hoje é pregado aqui e acolá que estas virtudes pertencentes ao profissional (a coletânea de procedimentos característicos que está englobada no termo profissionalismo), como a seriedade, competência, responsabilidade, ética, enfim - é o apanágio das empresas vencedoras, lucrativas, perenes, etc. visto que do rol de empregados e donos detentores efetivamente destas características vai compor a totalidade da imagem percebida da organização. O problema humano é que 50 pessoas que agem bem, uma é a imagem, um ou dois que procedem mal... Não é fácil, mas somos assim. 

Vou ter mais cuidado doravante. A cada aquisição, a cada direito, temos que discutir o entorno de tudo, cercar-nos de excessivos cuidados e ressalvas, resguardos e restrições a nosso favor, esclarecer minudenciadamente cláusulas e alíneas obscuras... Fazer seguros adicionais e estabelecer parâmetros de auto-proteção; pegar telefones de 'todo mundo' e vigiar...  Que trabalheira!

terça-feira, 17 de março de 2015

Chuva fria - que gostoso!

imagem obtida agora (via Google Images) de
http://www.hdfbcover.com/fbcover/abstract/rain-falling-on-floor-fb-cover

1. Pronto, desativei o telefone fixo de casa - doravante teremos somente o celular. Havia feito uma 'portabilidade' - transferência de companhia operadora de telefonia mantendo o mesmo número - mas não funcionou. Como pode uma empresa deste porte oferecer um serviço e depois vir confessar que 'está tendo problemas' - e descontinuar o serviço, deixando-nos a "ver navios"? Não vou fazer portabilidade de novo, inclusive porque inexistem lojas físicas  de qualquer operadora de telefone fixo (agora virou algo ultrapassado, mas que fazer, sou de outros tempos...) hoje em dia na minha cidade: tudo tem que ser feito virtualmente, e já viu, não é?... implica ficar tempos 'pendurado' no telefone ou na web... I quit!!  Décadas atrás, telefone fixo era um bem que você declarava no imposto de renda! Tinha que fazer um carnet de pagamento, para depois de alguns anos a empresa estatal vir instalar o aparelho em sua residência, algo que era bastante comemorado!  Para falar de uma cidade para outra, tínhamos que pedir para a telefonista operadora e esperar por vezes horas para falar, e assim ficávamos em casa aguardando a boa vontade dos deuses...  memórias!

2. Que chuva fria gostosa que está caindo... a gente estava sentindo muita falta; a sequidão foi muito tenebrosa na temporada passada, até comentei aqui. As nossas represas ainda estão com estoque bem baixo do precioso líquido, e quando acabar a época das chuvas poderemos ter problemas homéricos, se tiver nossa estiagem como aquela. Comprarei uma caixa d'água para represar alguma reserva, seguramente!  Mas o tempo cinzento e frio me lembra muito a época que eu viajava toda semana para São Paulo para treinar atletismo no Esporte Clube Pinheiros, onde era atleta federado (arremesso de disco - discus throw). Saudades... Nos Jogos Estudantis Brasileiros de 1971 (Belo Horizonte) sagrei-me vice-campeão nacional nesta modalidade, junto à seleção juvenil paulista (que ganhou a maioria das medalhas, como sempre). Foi o suficiente para saber que, se eu desejasse, com determinação e planejamento, poderia ter minhas metas pessoais efetivamente auferidas - bom para a auto-confiança da gente, não é mesmo? Acho que até o meu Doutorado foi influenciado pelos tempos que me dediquei ao esporte. Realmente ajuda a formar o caráter. 

3. Nossa, gente, minha vizinha cozinhando dá uma vontade de ir lá pedir um 'comercial' pra mim e para a Ruth... que tempero que ela usa! Outro dia recebemos dela umas costelinhas de porco que foi uma experiência quase celestial. Que legal ter bons vizinhos! A dona Elisete passou a bandeja pelo muro mesmo. Retribuí a gentileza com um bom vinho chileno, que sei que eles gostam... Ruth cozinha muito bem também - engordei 20 kgs desde que casei, crédo! Sou um bom garfo; desde criança fui abençoado com acepipes divinos - minha mãe perpetrava pitéus inesquecíveis. Antes de virar atleta eu era quase gordinho!

4. Para variar, a internet hoje cedo não queria conectar. Ficamos parecendo um zumbi, sem ter muito o que fazer - pelo menos é o que parece em nossa mente mal-acostumada. Depois, falando com o suporte da provedora (BVCi - de nossa cidade aqui mesmo) aprendi que o modem parece que demora a 'esquentar' - desenvolver a conexão. Não dá para acreditar, estamos na idade da pedra cibernética. Quando, ó deuses da web, teremos conexão veloz e segura como nos países mais avançados?? Tenha dó!!! 'Ninguém merece'. Temos que sair às ruas com a camisa verde-amarela e bater nas panelas toda semana... Aliás, que bela demonstração de civismo que o Brasil deu neste dia 15! Remarkable, como diriam os americanos...

5. Estou gostando de preparar aulas e ministra-las aos meus alunos este ano - parecem mais interessados que anos anteriores, quando a coisa se arrastava - era frustrante. Como os eventos mudam de uma hora para a outra; será fase? Espero que não - se a juventude não se comprometer com o futuro do Brasil, onde iremos parar? Já não basta de limitação? 

quarta-feira, 11 de março de 2015

Problemas digitais...



Imagem obtida agora (via Google Images) de
http://businesstech.co.za/news/internet/49352/power-problems-widen-the-digital-divide/

Hoje é dia... nada está funcionando direito! Agora vemos como dependemos destes gadgets que nos acostumamos a utilizar!

1. A internet parece funcionar 'a manivela', como diz a minha secretária do Comitê de Ética, lá do UNIFAE. Demora eternidades para carregar simples páginas, e nem imaginar carregar mais de uma, pois aí que 'quase-trava'. Fico a imaginar como será nestes países mais avançados, onde o pessoal utiliza o terminal móvel até para ver TV... Que inveja!

2. Fiz portabilidade do telefone fixo (sei que poucos tem ainda este 'dinossauro' tecnológico em casa, mas muitas pessoas não gostam de gastar os créditos de celular ligando para fixo...) de uma operadora para outra, mas foi um 'tiro no pé', como se diz. Agora pareço Pai de Santo - só recebo ligações, e isto de poucos, pois muitos tem reclamado que, ao que parece, cancelei a linha, a julgar pelas mensagens que eles recebem quando tentam ligar para casa. Que bagunça: já postei até reclamação na Agencia reguladora nacional, a ANATEL, mas a operadora tem ligado para mim sem resolver a pendência... Acho que terei que ir ao PROCON - a secretaria de defesa do consumidor.

3. A Apple Store e o iTunes resolveram fazer manutenção agora cedo, ao que parece. Não atualiza nada e nem baixa novos apps. Que droga, justamente agora que precisava atualizar um programa de leitura de jornal eletrônico/digital que assinei recentemente, que resolveu dar problema. Costumo ler 3 jornais diários no meu iPad Mini, que é bem confortável, mas hoje deu problema nas leituras. Pelo menos o Yahoo Digest está ok, carregando sem problemas, e ... Ah, e o Flipboard também, e o Spotify.  Menos mal. Acho que é só uma espécie de azar. 

4. Ontem em sala de aula comentei que esta escravidão nos deixa aturdidos e quando pedi para imaginarem viver sem celular ou TV uma mocinha quase gritou, esconjurando:  "Deus me livre"!  Foi hilário... Pensei, acho que teria a mesma reação se o meu Dropbox parasse de funcionar ou desaparecesse, crédo!! Acho que nem vou ver se o OneDrive ainda está ativo...

5. Nem reclamo dos teclados que ficam falhando, dos programas servidores de e-mail que degradam nosso texto quando usamos letras não existentes no alfabeto inglês, dos hubbs para portas USB que ficam a falhar, desconectando apetrechos que a gente pendura no PC; os modems que trazem a web até a minha casa; os controles remotos da TV que estão a ignorar nossos comandos... uff, que horror, quero voltar para a Natureza!! Vou virar 'ermitão' - por um dia -  senão morro de tédio... Será? 
Imagem obtida agora (via Google Images) de
http://www.pimpmyalfresco.com.au/