segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O coração do homem - Provérbios 20:5


Hoje estava estudando a Palavra e vi a passagem acima. Na Bíblia NVI lemos "Os propósitos do coração do homem são águas profundas, mas quem tem discernimento os traz à tona". Na versão Almeida Corrigida e Revisada Fiel lê-se "Como as águas profundas é o conselho no coração do homem; mas o homem de inteligência o trará para fora". Na versão Almeida Imprensa Bíblica lemos "Como águas profundas é o propósito no coração do homem; mas o homem inteligente o descobrirá". Outras tantas versões giram em torno do mesmo tema, o fugidio alento do mundano viver.

Os tradutores da Palavra em suas alternativas versões comunicam precisamente o que Deus deseja ao homem compreender: que ninguém sabe de primeira mão seus próprios intentos... Precisamos de inteligência, discernimento para divisar sua natureza, o que é (são); que nossos propósitos são inacessíveis, profundos, complexos, variáveis, e este, tantos quanto as areias do mar.

Sozinho pouco ou nada pode o homem fazer neste particular. Carecemos da graça de Deus - Inteligência para a vida plena, verdadeira somente pode vir d'Ele. Pobre da pessoa que se arvora em tentar auferir este conhecimento por si mesmo. Para o crente, ledo e passageiro engano!

Neste mundo a cada vez mais informado e informatizado, tal deslize, equívoco ou ludíbrio é mais e mais sedutor, acorrentando as almas desavisadas. O que somos e para quê viemos aqui nesta esfera, somente o podemos saber a partir da perspectiva eterna. O Pai Celestial se nos revelou (senão, de nós mesmos, nunca O conheceríamos) e devemos agora nos esmerar em aperfeiçoar este conhecimento d'Ele. Felizmente temos o roteiro para isso (coisa que muitos ansiaram e não foram agraciados): a Palavra, disponível a qualquer hora e lugar. Que a saibamos honrar.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Saudades de escrever...

Pedra Balão (São João da Boa Vista, SP)
Fotógrafo: meu ex-aluno Udo Matiello
(clique uma vez na foto para aumentar - vale a pena ver
como é o entardecer aqui em minha cidade...)

Novos projetos acadêmicos tem consumido meu tempo - tenho que ficar mais horas no UNIFAE. Que bom que surgiu algo para dar novo ânimo acadêmico. Depois que se consegue atingir certas metas de vida ficamos meio sem 'rumo'... Vou trabalhar mais com pesquisa e menos em sala de aula - acho bom, pois estou ficando cansado, com o passar dos anos. Ah, e vou dar palestras também sobre temas diversos, como Ciência e Iniciação Científica, esta, área que estou cooperando junto à Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Parece que virei uma espécie de 'lecturer' interno, ao fim e ao cabo de minha carreira acadêmica...

Cêdo estava a meditar minhas leituras matinais (que consomem às vezes mais de uma hora e meia) e notei que o silêncio maravilhoso que existe neste pedaço do centro da cidade é entrecortado por ruídos intensos de motos, vans, cachorros e pássaros, estes os mais diversos. Em Salt Lake City, o que mais estranhei é a falta deles, como já devo ter comentado aqui. Que maravilha nossa fauna e flora, coisa que muito patrício não dá valor, infelizmente. 

Minha colega Vice-Líder de Pesquisa do meu Grupo de Pesquisa (CNPq) via ganhar um menino - estamos todos na expectativa. Lembro do nascimento dos meus filhos;  é uma das maiores experiências de todo vivente, em especial para as mães - que bênção de Deus... Que ele chegue cheio de saúde!

Hoje cedo coloquei os materiais recicláveis no alpendre, para as moças da reciclagem apanharem. Que serviço maravilhoso que elas realizam. Pela quantidade de scrap que retiram das casas (cada dia é um setor da cidade que recebem as equipes de coletores) fico a imaginar que estrago faria ao meio ambiente se tudo fosse depositado em lixões, como até pouco tempo atrás... e tem gente que não coopera; é possível?

Fim de semana vou visitar uns amigos, enquanto bilú inicia sua Pós-Graduação Lato Sensu em Fisioterapia Dermatológica (vão ser dois dias, sábado e domingo, dia todo, uma vez ao mês, uff...) no UNIFAE mesmo. Pelo menos espero que possamos nos encontrar na hora do almoço.  A gente se acostuma tanto com a companhia do outro que a falta é enorme. Que fazer...

Ouvi hoje na hora do almoço Nat King Cole, aquele cantor norte-americano nascido no Alabama. Corri ver na minha Encyclopaedia Britannica sua biografia. Morreu moço o cantor e pianista de jazz; foi-se embora cedo, como muitos artistas excepcionais. Vou procurar saber mais sobre ele. É o que faz minha vida colorida - gosto de 'mergulhar' na informação, ainda que depois de algum tempo, tendo dominado o assunto, sinto certo tédio e 'corro' logo atrás de outra coisa para averiguar. Costumo ler uns 5 livros 'ao mesmo tempo'; é gostoso - leitura é uma das maiores bênçãos dos Céus!

Agora vou para a sessão quinzenal de acupuntura com meu amigo Adão Carlos, Biomédico e colega professor lá no UNIFAE. Ele vai ser o próximo Coordenador do novo curso de Farmácia. Nossa Universidade está aumentando a oferta de cursos - novas oportunidades. Oxalá tenha mais alguma aulinha para mim, mas de Metodologia, que é o que eu mais gosto. Saravá!!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Dia dos professores


Sei... esta foto não tem muito a ver com o que vou dizer, mas 'só por Deus' mesmo, hoje em dia, para sentir alegria em ser professor. Longe vai o tempo que eu admirava meus professores e dizia a mim mesmo "meu sonho é ser professor!!". Li duas matérias a respeito da (des)valorização do docente que se instalou em brazólia na edição de hoje do jornal CORREIO POPULAR, de Campinas, que assino via web (que facilidade baixar todo o jornal diariamente em pdf...). Quanta mudança de valores em tão pouco tempo, deixando-nos pouco espaço para adaptações... Quem ficar curioso mande um e-mail para mim (tecnoleto arroba live.com) que eu envio anexo as cronicas... vale a pena! 

Mas sigo fiel ao que aprendi da profissão docente, que acho das mais sublimes, posto que voltado para a formação do ser humano integral, da pessoa em desenvolvimento. Que papel lindo reservado a este tipo de profissional. Ainda é valorizado no mundo todo, mas aqui... Creio que será uma das boas memórias que terei para curtir na velhice, apesar dos últimos anos.

Outro dia comentei que até levando borrachada de policiais os professores estão se sujeitando, sofrendo nos olhos as irritações do spray de  pimenta; logo-logo levar tiro de bala de borracha ficará também comum, como já o é levar tiro de verdade de algum aluno em sala de aula (como vimos outro dia uma professora em Ribeirão Preto, salvo engano).

Mas o que mais causa espanto e espécie é observar que ocorre, por vezes, uma das cenas mais perversas para o preceptor vivenciar - quando alguns de seus colegas são colocados em posição de mando, logo travestem-se de déspotas, sujeitando seus companheiros de lida, de labuta como se nunca tivessem sido profitentes. Triste, mas humano, demasiado humano.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Frio, professores e Grupo de Pesquisa

Foto obtida agora (via google images) de

Vocês imaginam que fez um tempo feio aqui em São João parecido com este acima? Mas é da época, início de primavera... Eu gosto muito de chuva e vento, mesmo que esteja frio - o ruim é quando estraga instalações e machuca as pessoas, ou ainda deixa desabrigados, mas é um espetáculo!!

Finalmente consegui colocar meu Grupo de Pesquisa 'no ar'... Como de praxe, as coisas são mais complicadas aqui em brazólia, mas mesmo com a "burrocracia", conseguimos inscrever o grupo no CNPq. Veja o link:  http://grupo-de-estudos-terceira-idade.webnode.com/  Mas o site está ainda em construção. Mas passa lá para ver... Esta semana vou fazer a primeira reunião oficial do GP.

Vamos ver se consigo ficar mais animado. Acho que idade começa a pesar - consegui tudo o que queria na vida em termos intelectuais, e preciso de desafios. Felizmente meu Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (é o setor de minha Universidade ao qual o Grupo está subordinado), Professor Guilherme, é um sujeito muito estimulador, companheiro e aberto, além de comungar na mesma fé reformada. Boas perspectivas!

Marcante esta semana a surra que os professores manifestantes do Rio de Janeiro levaram da polícia.  Veja em http://is.gd/Znj2WV  Qual docente hoje em dia que não pensou em mudar de profissão? A coisa piora a cada dia, que fazer. Sempre lembro o que eu li um dia no jornal   "a saída para o Brasil é o aeroporto".   Dá vontade de ir embora mesmo.  Quem sabe um dia...