terça-feira, 28 de setembro de 2010

Chuva, enfim!

Chove aqui, há dois dias. Quanta bênção envolve 'singelo' fenômeno metereológico. Escandalizo-me quanto ouço alguém imprecar contra ela, e vou logo dando um 'sermão', lembrando do tempo que trabalhei em fazendas do Mato Grosso do Sul (1985-1986), onde ansiávamos por gotas de chuva... Bons tempos aqueles!

Estou lendo um livro sobre Calvino, homem admirável, em todos os sentidos. Comprei direto da editora LPC (Campinas, SP). O nome da obra é CALVINO: Vida, influência e Teologia, do Pastor Wilson Castro Ferreira, edição de 1985, reimpressão de 1990. Em que pese deficiências clamorosas de revisão que viceja pela obra, conseguimos apreender a extensão da influência do notável teólogo. Com outra obras que temos hoje de e sobre Calvino, podemos auferir como Deus determinou que seu Plano fosse esmiuçado para nós viventes, que tendemos a confundir as coisas mais simples...

Para quem não conhece, recomendo o site http://monergismo.com que possui excelentes papers e outros recursos sobre a fé reformada, a visão de mundo que está se expandindo enormemente, principalmente entre aqueles que estão cansados de falatórios improdutivos...


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Relatos recentes...

Ontem houve almoço na IPB da Vila Brasil - decidiram 'estrear' a churrasqueira. Pensei que o espaço novo ia demorar ainda mais tempo para ser utilizado para congraçamento... Sinto tanta falta desta convivência com os irmãos da Igreja, mas cada Pastor tem seu estilo... Mas gostei muito de trabalhar lá, acho que eu seria um bom garçom...

Estou ouvindo uns CDs antigos que tenho, num aparelho Panasonic quadriplex (torre) que ganhei de meus pais (na verdade foi minha mãe que decidiu abrir espaço no seu escritório e me ofereceu o Rack; aceitei de pronto... ). Os virtuoses são B.B. King, Phil Collins e George Benson. Grandes artistas norte-americanos; gosto de MPB, mas estes me acompanharam em toda minha juventude - utilizava-os para treinar o inglês. Outros artistas que apreciava muito neste mister eram James Taylor e Elton John. Era só 'pegar' as letras, traduzir e ficar ouvindo repetidas vezes, para treinar o ouvido... era muito eficiente!!

Hoje é segunda feira e pensei em colocar umas fotos mais antigas da familia. Primeiro da Livia, meu amorzinho, em foto que tirei em P & B. Gosto de fotos assim. Liguei para ela ontem; sempre é muito bom poder falar com a criançada - mas não consigo falar com o JG e Marilia - vou mandar e-mail para eles entrarem em contacto...




Sempre me impressionei com as expressões que Livia fazia (e faz...); a gente ficava se falando muito desde nenê, pois minha profissão de professor me permitia ficar em casa de dia, ministrando aulas somente à noite... Curti muito minha filhinha, e fazíamos muita bagunça!! Ela era muito ativa, e eu a estimulava o tempo todo. É o melhor meio para desenvolver a inteligência. Ela diz que quer ser veterinária - adora bichos!



Ela não é um charme? Tenho um 'monte' de fotos dela assim, nas diversas vezes que eu ficava em casa... Tenho fotos dela fazendo 'pose'; eu dizia que era para ela ficar 'desfilando'  para mim, como uma modelo famosa - ela adorava a tarefa; quem sabe um dia... (Ô pai 'coruja'!)


Este casal de idosos são meus sogros (as meninas na foto à esquerda são duas das sobrinhas da Ruth). Ele, Zequinha Barroso, ainda vive, tem quase 90 anos e, pela saúde e disposição - trabalha duro até hoje - vai a mais de 100.  Que Deus nos abençôe com a sua companhia por muitos anos ainda. Ele é um exemplo de cristão, em todos os sentidos - e que fé que ele tem, piedosa, como convém, principalmente. Minha sogra, D. Lourdes, infelizmente faleceu há pouco mais de um ano, enquanto dormia. Uma morte santa para uma mulher com grande Fé em Deus. Minha querida Ruth ainda se emociona muito pela saudade. Ela era muito espirituosa; adorava cinema e um bom papo. Cozinhava como ninguém. Aprendi a apreciar esta dama, uma pessoa que cativava com o tempo e que, face às suas inúmeras prendas e virtudes, ficava muito fácil relevar pequenos defeitos que nos fazem, a todos, mais humanos... Esposa devotada ao marido até os seus últimos dias, criou 6 filhos com muito, muito zelo e disciplina. Está com o Pai Celeste, dando aquelas gargalhadas espontâneas e estrondosas, e ahh... mofando carinhosamente da gente aqui, com certeza...

terça-feira, 7 de setembro de 2010

7 de Setembro

 Nossa! O amigo Júlio (marido da Flavinha, mãe do Davi e Caio) disse ontem em sua casa (saboreamos uma 'galinhada' fantástica cozida pelo chef Paulão, em jantar-tertúlia com o pessoal da Igreja) que 'nunca' havia passado um feriado cívico destes sem chuva e, olha, 'incrivelmente' depois destes quase dois meses sem qualquer precipitação atmosférica formada de gotas de água (cujas dimensões variam preferencialmente entre 1 e 3 mm, por efeito da condensação do vapor de água contido na atmosfera... re re re...  não deveria gostar da prolificidade das palavras, mas sou assim;  com boa vontade, é algo que se pode escusar...) vimos boa precipitação nesta madrugada e agora cedo. Graças aos céus por mais esta bênção!! Estava seco demais, horrível. Maravilho-me com estes mistérios, 'tipo' a premonição do Júlio, figuraça sem par!

Gosto muito de aforismos, estas máximas elaboradas pelas pessoas as mais diversas, e que concentram tanto saber em poucos termos... Tenho muitas catalogadas. A Palavra de Deus tem até um livro com centenas delas; são as minhas favoritas. No plano do sarcasmo humano,  do remoque, admiro de certo modo a inteligência hilariante de um Oscar Wilde, alma atormentada, ainda que por vezes a use para o mal. Impossível não admirar os ditos de Machado, de Clarice Lispector, de Fernando Pessoa, de Drummond.  Michel de Montaigne (filósofo francês 1533-1592), seguramente um dos maiores construtores de apotegmas, um efetivo anti-frasista em seu pensar, disse algo que me faz refletir: Pode-se ter saudades dos tempos bons, mas não se deve fugir ao presente. Isto porque, todos os dias, entristeço-me pela falta dos meus filhos, mas quando penso que já verti todas as lágrimas a respeito disso, sinto que elas vão aparecer até o fim dos meus dias, e cada vez mais, quanto mais provecto.

Ouço agora um dos 14 CDs que ganhei da Marilia, com hinos sacros antigos, tocados somente com instrumentos (são mais de 300 peças musicais!!). Pareço ouvir as hostes celestes (deve ser parecido, imagino eu, de tão lindo) com todos os seus instrumentos de louvor... Emoção pura, no melhor sentido; aproxima-nos do soberano Pai Celestial, coisa que precisamos muito, nestes últimos dias...

domingo, 5 de setembro de 2010

Véspera da véspera de feriado!

Êba! Meus alunos estão muito contentes - dois dias sem aula... Tudo bem que todo aluno gosta de um 'refresco', mas este semestre está exagerado - teremos mais dois feriados 'esticados', doze de outubro e dois de novembro, além do quinze de novembro. Quem ministra aulas às segundas-feiras terá problema para dar conta do programa... Mas para nós docentes, tal evento ajuda a colocar o planejamento das aulas em dia, com os respectivos materiais. Eu sou um professor que posta muito material no portal, de modo a estimular a leitura e pesquisa dos alunos. Muitos não aproveitam, mas aí são "outros quinhentos"...

Acabo de falar com a Livia, minha querida caçula.  Ela estava a caminho de ver uma apresentação teatral. Vejam como ela está agora:


Esta foto tirei do meu celular LG KP 570, quando a levava de volta à sua cidade, depois de passar uns dias aqui comigo. Ela é muito alegre e espirituosa e, por vezes, perpetra pândegas elaboradas...

Ah, e vejam minha caçula do primeiro casamento, a Marilia... Ela está se formando em Psicologia este ano, lá em Utah, Salt Lake City. Nunca imaginei que um rebento seguiria minha carreira!


Linda, não? Sem corujice (não achei este termo no Aurélio, mas quero significar qualidade de pai ou mãe 'coruja'), podemos dizer que é lídima representante do belo sexo. Ainda bem que 'puxou'  à mãe, que chegou a desfilar em evento de moda, segundo relato da própria, quando estudava Direito no Rio de Janeiro. Realmente a mãe dela, Tereza, era muito bonita também, chegava a dar torcicolo em alguns passantes (isto eu mesmo presenciei quando a namorava em 1980 - nos casamos em 1981).

Segunda feira, amanhã, não iremos no Asilo realizar o trabalho com os idosos, por causa do Feriado. Sentirei falta dos amigos lá. A gente se apega, é mal de alguns psicólogos como eu, humanistas (esta abordagem de Psicologia abrange modelos teóricos que se fundamentam na consideração de valores humanos como fundantes do fazer profissional). Para encerrar as confabulações, vou postar algumas fotos recentes  da 'turma'...

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Setembro...

Nossa... terceiro quadrimestre e fim de ano à vista! Quantas coisas novas neste ano; mas, veja,  o impacto das mudanças aceleradas determinando certo chaos cotidiano é avassalador - fico observando meus alunos, como eles tem dificuldade em lidar com esta complexidade toda! Conheci uma senhora já macróbia que dizia ter visto o mundo de seus avós, de seus pais, o próprio da sua idade e, depois, o dos filhos e netos e quedava-se abismada com as transformações - a mais acachapante para ela era  ver a cidade natal, antes pequenina, 'deserta', sem pavimentação, agora transformada em pujante cidade de porte médio, com suas mazelas e descontinuidades... Não, não é facil não. 

Começo a ficar cansado de ministrar as cotidianas aulas, antes atividade tão significante para mim. Cavaqueando, ... será a idade? Os alunos desinteressados/desinteressantes? A falta de sentido laboral? Necessidade de mudar? Distraio-me fazendo cursos 'um atrás do outro'; já maquino o que perpetrarei (no bom sentido!) depois desta segunda pós-graduação em Teologia do CPAJ/Mackenzie. Penso em fazer Bacharelado em Teologia.

Outro dia telefonei para Mariana, a filha que está esperando nenê para janeiro do ano que vem,  aquela que mora em Sorocaba (antes morava nos EUA perto dos irmãos, mas enjoou de lá). Fazia um 'tempão' que não nos falávamos e, se eu não ligo, ela não toma a iniciativa. Que fazer... Faço minha parte, meu dever de pai. Enquanto tiver forças irei atrás dela; principalmente pela minha netinha que vai nascer. Que Deus me conserve para vê-la - por vezes imagino como Mariana vai ficar se descobrir que, um dia, desencarnei e ela nem ficou sabendo... Como já disse, eu fui um tanto  'ausente' assim com os meus pais na época que estava estudando na faculdade e hoje procuro fazer de tudo para compensar minha estupidez (ainda que não fizesse isso com intenção; era certo egoísmo imaturo). Então não fico magoado com ela; penso que um dia ela também vai cair em si. É da natureza humana decaída estas imperfeições - ainda bem que temos a bênção de poder perdoar e tornar estas bobagens em refrigério para o coração. Nada como tornar relativo estes desmandos, mirando-nos em nossas próprias (e incontáveis) imperfeições...

José Geraldo e Marília nos Estados Unidos também devem estar atarefados, mas pelo menos a cada seis meses aparecem (bom, eu costumo também dar uns 'lembretes' a eles para darem notícias, de vez em quando...). Com a Lívia, nos falamos toda semana, pois eu dei um celular a ela da mesma operadora e as ligações que faço saem mais baratas e, com a idade dela (9 anos), é muito hilariante ouvir suas peripécias... Imagine que outro dia ela se apossou de meu celular, intentando brincar com joguinhos e conseguiu bloquear o aparelho, o que deu certo trabalho para habilitá-lo novamente... 'ri, para não chorar' (bom, não foi tanto um desastre assim, vá lá... e creio que minhas 'artes' foram piores quando eu tinha idade dela - meus pais são 'santos', realmente, pois tinham 5 filhos!!) Ela está ficando um amorzinho de garota. Que o Pai Celestial a conserve assim!