segunda-feira, 22 de junho de 2009

Blog, O Retorno...

Estive ausente, peço perdão, mas tive inúmeros afazeres (e nem tantas coisas importantes a dizer... prefiro calar, na melhor tradição zen...) e ‘urgências’, além de doença na família, operação de menisco e outras coisas... , agora, volto com saudades.

Coloquei aqui no meu cantinho (meu escritorinho do apartamento, com os moveis que eu desenhei – na verdade duas ‘mesas’ superpostas que formam um espaço de estudo e estante para colocar papéis, fotos, computador e periféricos, utilidades diversas e gadgets) as fotos dos meus filhos. Estão de certa maneira ‘congelados’ no tempo, pois, por egoísmo e/ou sadismo das minhas ex-mulheres (“ex-mulher é para sempre...”), foi-me negado o direito de acompanhar de modo perene o desenvolvimento deles. Meus 3 filhos do primeiro casamento vejo-os adolescentes na foto, e Lívia como um nenê, linda como ela só. Meus quatro rebentos, como se netos fossem, só os vejo de vez em quando (raramente?). Os mais velhos já há muito tem a vida deles e os contactos resumem-se em mensagens por e-mail (e não só porque dois deles moram no exterior). Com a Lívia, filha caçula, do segundo casamento, pelo menos telefono e escrevo regularmente/semanalmente; afinal, ela tem somente 8 anos. Mas vai crescer também e dar seguramente mais importância à família da genitora; que fazer, é de certo modo ‘natural’. Sim, parece que a Natureza é algo ingrata com os pais-homens, auxiliado pela Justiça que tem ali as mulheres em foro privilegiado, além de outras benesses... Pelo menos os céus são testemunhas que nunca me casei pensando em separação; eu nunca imaginei o divórcio, mas certas decisões peremptórias se interpõem, a contragosto. O fato de sentir que meu Deus nunca me abandonou me faz muito grato e aumenta ainda mais meu compromisso com a Fé.

Estou na fase mais feliz da minha vida, terminando um curso de Teologia Reformada no Mackenzie (e logo, 2010, iniciando a fase II destes estudos pós-graduados – mais um ano e meio de disciplinas teológicas), com ótima participação na minha congregação presbiteriana (IPB) da Vila Brasil, aqui em São João da Boa Vista. Aulas terminando neste semestre, férias à vista e livros a ler já separados. Vou estudar outro tanto de As Institutas, de Calvino, um clássico, para dizer pouco.

Vamos ver se apareço mais. Prometo.